VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

LIBERDADE

Inquietude da alma
coração fica aflito
a cabeça gira sem parar
problemas florescem
como grama num jardim
dúvidas persistem...
amor fala mais alto
coração não escuta
quer liberdade
e mostrar sentimentos

Maria Jeremias dos Santos


A CIDADE ACORDA




Com os 1° raios da manhã
Iluminando o céu nublado
Para um dia começar
Renascem junto nossos sonhos
De um dia melhor
Que parece ser primavera
Mas estamos em pleno outono...

Maria Jeremias Santos

NO MEIO DA MULTIDÃO






A rotina era sempre a mesma... Incansável nos dois anos de trabalho, no mesmo lugar, mesmas pessoas, sem expectativa de crescer profissionalmente.

Da janela vê árvores floridas em tempos que não é primavera, porque estamos em pleno Outono, observa pessoas andando pra lá e pra cá, alguns sem destino certo.

Ao longe uma placa chama-lhe a atenção “2001 parking”  é para lá que quer ir muitas  vezes quando a rotina a sufoca em seu trabalho, quando seu peito aperta de saudade das pessoas queridas que deixou na sua cidade natal, quando a angustia brota como se fosse uma raiz profunda em seu coração. Sempre se encantou com coisas simples, a beleza da natureza, o cheiro da relva, o perfume das flores, o vento balançando suavemente as folhas das árvores nesses dias quentes de São Paulo.

Rotina que começava ás 6h da manhã, ônibus lotado com pessoas quase caindo pela janela, enfrenta  o agito da cidade grande, aquela menina cheia de sonhos prossegue sua rotina de mais um dia... De repente para na frente do espelho, arruma seus cabelos, franze a testa e tudo que vê é uma mulher madura com traços marcados pelo tempo, vê um rosto que sorria mais no passado que agora. Mas sabe que a luta continua como os desafios da vida, ela segue seu caminho  no meio da multidão.

Maria Jeremias Santos

ABRAÇO TAMANHO GG

LEIA MUITO LINDA A HISTORIA
(COPIEI E COLEI PORQUE ACHEI LINDO!!)


Minha amiga trabalha em um brechó de um hospital, como voluntária.
Certo dia adentrou na loja uma certa "senhora bastante obesa", e de cara a minha amiga pensou que não tinha nada na loja na numeração dela.
Se sentiu apreensiva e constrangida naquela situação, vendo a senhora percorrer as araras em busca de algo que minha amiga sabia que ela não encontraria.
Ficou angustiada, porque não queria que a senhora se sentisse mal pelo tamanho das peças de roupas, se sentindo excluída e fazendo a questão sobre o seu sobrepeso vir à tona de forma implícita.

Naquele momento minha amiga orou a Deus e pediu que lhe desse sabedoria para conduzir a situação evitando que a cliente se sentisse excluída ou humilhada na sua autoestima.
Foi quando o esperado aconteceu. A senhora se dirigiu à minha amiga e disse tristinha:
"É... não tem nada grande, não é?
E a minha amiga, sem até aquele momento saber o que diria, simplesmente abriu os braços de uma ponta a outra e lhe respondeu:
"Quem disse??? Claro que tem!! Olha só o tamanho desse abraço! - E a abraçou com muito carinho.
A senhora então se entregou àquele abraço acolhedor e deixou-se tomar pelas lágrimas exclamando:"Há quanto tempo que ninguém me dava um abraço."
E chorando, tal qual uma criança a procura de um colo, lhe disse:"Não encontrei o que vim buscar, mas encontrei muito mais do que procurava".
E naquele momento, através dos braços calorosos de minha amiga, Deus afagou a alma daquela criatura, tão carente de amor e de carinho.
Quantas almas não se encontram também tão necessitadas de um simples abraço, de uma palavra de carinho, de um gesto de amor.
Será que dentro de nós, se procurarmos no nosso baú, lá nas prateleiras da nossa alma, no estoque do nosso coração, também não acharemos algo "grande" que sirva para alguém?

Um grande abraço, tamanho GG pra você!

(DESCONHEÇO O AUTOR)