VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

terça-feira, 30 de junho de 2015

20 dicas de sucesso



1. Elogie três pessoas por dia
2. Tenha um aperto de mão firme
3. Olhe as pessoas nos olhos
4. Gaste menos do que ganha
5. Saiba perdoar a si e aos outros
6. Trate os outros como gostaria de ser tratado
7. Faça novos amigos
8. saiba guardar segredos
9. Não adie uma alegria
10. Surpreenda aqueles que você ama com presentes inesperados
11. Sorria
12. Aceite sempre uma mão estendida
13. Pague suas contas em dia
14. Não reze para pedir coisa, reze para agradecer e pedir sabedoria e coragem
15. Dê às pessoas uma segunda chance
16. Não tome uma decisão quando estiver cansado ou nervoso
17. Respeite todas as coisa vivas, especialmente as indefesas
18. Doe o melhor de si no seu trabalho
19. Seja humilde, principalmente nas vitórias
20. Jamais prive uma pessoa de esperança. Pode ser que ela só tenha isso.

(autor desconhecido)

Aquilo que é realmente nosso, nunca se vai para sempre...



Os ventos que as vezes tiram
algo que amamos, são os
mesmos que trazem algo que
aprendemos a amar...

Por isso não devemos chorar
pelo que nos foi tirado e sim,
aprender a amar o que nos foi
dado. Pois tudo aquilo que é
realmente nosso, nunca se vai
para sempre...

Bob Marley

Desafie a si mesma e faça do tempo o seu aliado



Muitas vezes perdemos oportunidades por não acreditarmos que podemos ir mais longe, como quando as coisas não saem de acordo com o esperado, ou quando seu tempo foge entre suas mãos e nada dá certo. E agora, o que fazer?

Agora é o momento de agir. Desafie a si mesma e faça do tempo o seu aliado, coloque para fora as suas qualidades e use suas habilidades, assim você pode fazer a diferença nesse exato momento. Acredite que você pode ser mais, se dar mais. Creia no seu sucesso e não crie obstáculos em sua mente, mas comece a agir! Você tem talento, só precisa exercitá-los.

Não deixe que o medo de errar te detenha e te faça parar no tempo, mas seja corajosa, acredite no seu potencial!

A melhor hora para tomar atitudes, para mudar as coisas e fazer tudo dar certo é quando tudo está indo contra você, pois o melhor impulso para falta de coragem é a ação. Não fique sentada se lamentando, levante-se e faça algo!

Use esse tempo difícil a seu favor, faça tudo novo e acredite que você pode sair dessa e seguir em frente para uma vida de grandes conquistas.

Tudo passará a dar certo, quando você começar a entender que o que você determinar você poderá alcançar, basta acreditar em si mesma.

Saiba que suas ações no seu tempo determinam o seu futuro, pois as melhores conquistas acontecem quando agimos com atitudes corajosas em situações desencorajantes.

O que você pode fazer, nesse exato momento, para chegar mais longe?

Acredite em você e comece a agir, já.

(Maria Jeremias Santos)

O dia mais belo:HOJE !



O dia mais belo: hoje
A coisa mais fácil: errar
O maior obstáculo: o medo
O maior erro: o abandono
A raiz de todos os males: o egoísmo
A distração mais bela: o trabalho
A pior derrota: o desânimo
Os melhores professores: as crianças
A primeira necessidade: comunicar-se
O que traz felicidade: ser útil aos demais
O pior defeito: o mau humor
A pessoa mais perigosa: a mentirosa
O pior sentimento: o rancor
O presente mais belo: o perdão
o mais imprescindível: o lar
A rota mais rápida: o caminho certo
A sensação mais agradável: a paz interior
A maior proteção efetiva: o sorriso
O maior remédio: o otimismo
A maior satisfação: o dever cumprido
A força mais potente do mundo: a fé
As pessoas mais necessárias: os pais
A mais bela de todas as coisas: O AMOR!!!


(Madre Tereza de Calcutá)

Escritor Miragaya e seu primo Makenzo Kobayashi

Miragaya e seu primo Makenzo Kobayashi lado a lado. Finalmente ele publicou o seu primeiro livroImaginários Impróprios e estava lá pra vê-lo receber a sua obra. Parabéns .



Livro Imaginários Impróprios de Makenzo kobayashi - 100 páginas - Editora Beco dos Poetas
Makenzo kobayashi recitando uma de suas poesias.

   Maria Jeremias santos



POESIA na Estante Virtual



Passeio por São Paulo é sempre maravilhoso em boa companhia então, nem se fala....
Um domingo na Paulista com meu amor, Marcio Sena.
 Uma pausa para a longa caminhada que nos espera....


Uma poesia de inspiração de Marcio Marcelo Sena para mim ...
deixamos na Estante Virtual que estava trocando poesias com a galera na Avenida Paulista.

Maria Jeremias Santos

1ª edição da Sambaqui – Feira da Literatura Independente

No dia 20 de Junho de 2015 aconteceu na Biblioteca Paul Harris  a 1ª edição da Sambaqui – Feira da Literatura Independente, em São Caetano do Sul. Cerca de 800 pessoas passaram pelo evento durante todo o dia.
A Feira é uma idealização dos escritores Maitê Andorra e Nelson Albuquerque Jr. e contou com parceria da Academia Popular de Letras, por meio de sua presidente Ana Maria Guimarães Rocha. Recebeu 50 artistas, que expuseram e venderam seus trabalhos.
Foi um verdadeiro ganho para a cultura e as artes independentes. O evento abriu espaço para os autores levarem as suas produções ao público.
Entre os autores, estava a escritora Marice Palmyra Cordeiro apresentando sua obra pela Editora Beco dos Poetas -2015.
A família Beco dos Poetas compareceu ao evento literário.

   Marcio Marcelo Sena- editor- chefe da Editora Beco dos Poetas e Agente de Conteúdo da editora, Henrique Sena marcaram presença.
A apresentadora do Sarau Matinal Beco dos Poetas Maria Jeremias esteve prestigiando o evento e parabenizando a escritora Marice Palmyra que fará o próximo lançamento em 26/07/2015 em Sao Paulo - SP no Sarau do Beco.

Maria Jeremias dos Santos

CEU Caminho do Mar - Jabaqura-SP - tem DEBATE

ACONTECEU....

a discussão da Maioridade Penal - 


Pessoal, foi da hora o debate - levei meus alunos para assistir a discussão.

O Centro Educacional Unificado (CEU) Caminho do Mar realiza nesta terça, dia 23, a primeira edição do DebateCEU. O projeto trará mensalmente especialistas para tratar de temas que estão no centro das discussões na sociedade.


Nesse primeiro evento, será discutida a questão da maioridade penal, com a participação de Padre Lédio Milanez, do Fórum de Assistência Social da Cidade de São Paulo, Ítalo Cardoso, vereador responsável pela instalação da 1ª Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Tati Botelho, rapper – Fórum do Hip Hop do Jabaquara, Cocão, Versão Popular, além de representantes da Coordenadoria de Juventude e da Supervisão de Assistência Social do Jabaquara.


O DebateCEU é aberto à toda comunidade. Não é preciso fazer inscrição, basta comparecer ao local, às 19h.

Serviço

DebateCEU
Data: 23 de junho de 2015
Horário: 19h
Local: CEU Caminho do Mar
Endereço: Av. Eng. Armando de Arruda Pereira, 5241 - Jabaquara -sp

Maria Jeremias dos Santos

Poeta cria Cordel inspirado no programa "Quem Lê, Sabe Por Quê"



O poeta Nildo Cordel, morador da comunidade próxima ao CEU São Mateus, escreveu um cordel inspirado no programa "Quem Lê, Sabe Por Quê".

Ele escreveu os versos durante reunião do Programa realizada em agosto na unidade, sob a coordenação de uma das tutoras do programa, Cristiane Rogerio.

Quando o grupo ficou sabendo do lado artístico deste morador e de sua ânsia em promover a leitura e escrita como direito de todos, imediatamente foi convidado para fazer parte do Programa.

Atualmente, o Programa ”Quem lê, sabe por quê” está mapeando e articulando projetos para o desenvolvimento de redes de leitura, com o objetivo de transformar a cidade de São Paulo em uma cidade-leitora.

Veja abaixo o cordel produzido por Nildo Cordel

QUEM LÊ SABE POR QUÊ.

Acorda para a leitura
A leitura faz crescer
Traz cultura, informação
Por isso eu vou dizer
Ela faz revolução
Pois quem lê sabe por quê.

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

Sabe por que tem o mundo
Tem a vida, a alegria
Sabe por que tem os sonhos,
Tem a noite, tem o dia
Sabe por que se descobre
Que ainda não sabia.
-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x
Que ainda não sabia
Que é preciso saber,
Que o mundo é de todos
Que é direito nascer,
Que se morre, mas que ainda
Não dá para desmorrer.

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

Sabe que Biblioteca
Não é só para estudar
É para lê por lazer
Lê para se informar
É pra quem gosta de Lê
Mas não consegue comprar.

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

Quem lê sabe por quê
Dizer sim e dizer não,
Sabe por que a leitura
É mãe da educação...
Que ler é tão importante
Quanto uma refeição.

Maria Jeremias Santos

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Dia exautivo de uma professora

Hoje meu fim de noite foi lindo e quero compartilhar com vocês ...




Depois de um dia cansativo de trabalho,  na escola, fechamento de notas, provas de recuperação, dia exaustivo de uma professora . Saio de casa logo cedo, minha rotina começa cedo e prolonga-se por toda a noite é aquela sexta-feira trash - vida de professor não é fácil....fico o dia todo fora e só volto pra casa quando a lua vai dormir.

.Mas é recompensável quando volto pra casa, meu marido Marcio, me espera com poesias falando de nós, de nosso amor e com o jantar quentinho na mesa, só me esperando.


Fim de noite é marcante, um filme na tv, de mãos dadas começamos a noite com um beijo caloroso e uma caixa de chocolates.... o resto .... a noite nos pertence.


Maria Jeremias dos Santos

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Virada Cultural é um evento promovido pela Prefeitura de São Paulo

A Virada Cultural 
Criada para refletir o espírito tipicamente paulistano de uma cidade que “nunca para”, a Virada Cultural é um evento promovido pela Prefeitura de São Paulo, com duração de 24 horas, que oferece atrações culturais para pessoas de todas as faixas etárias, classes sociais, gostos e tribos, que ocupam, ao mesmo tempo, a mesma região da cidade.
Inspirada na “Nuit Blanche” francesa, que se baseia na inversão de expectativas — como por exemplo museus abrindo de madrugada–, em São Paulo, o evento traz programação diversa, distribuída por toda a cidade. A Virada Cultural busca, antes de tudo, promover a convivência em espaço público, convidando a população a se apropriar destes locais por meio da arte, da música, da dança, das manifestações populares.
Desde sua primeira edição, em 2005, a Virada Cultural atrai milhares de pessoas de todas as partes de São Paulo e do Brasil até a região central da cidade. Ao longo dos anos, a festa foi se difundindo cada vez mais por este perímetro, até recentemente incorporar a região da Luz, além da República e Anhangabaú.
A primeira edição ocorreu no mês de novembro, o que se mostrou uma escolha inadequada por conta da temporada de chuvas. Nos anos seguintes, o evento passou a ser realizado no primeiro semestre, entre os meses de abril e junho.
Além da rede municipal de equipamentos – incluindo os Centros Educacionais Unificados (CEUs) –, a organização da Virada Cultural conta com parceiros estratégicos como o SESC e o Governo do Estado, que aderem com seus equipamentos culturais descentralizados. O Metrô de São Paulo fica aberto durante as 24 horas do evento, garantindo a circulação das pessoas.
Virada Cultural 2015 vem aí a programação completa, aguardem!!!

Maria Jeremias Santos


10 centros culturais com entrada gratuita em São Paulo

10 centros culturais com entrada gratuita em São Paulo
Metrópole paulista mostra porque é uma capital vanguardista e cultural



São Paulo, 11 de junho de 2015 - Diversa e acolhedora, São Paulo
é a cidade com a maior oferta cultural e de lazer na América Latina.
Com mais de 100 museus e dezenas de centros culturais, a metrópole
tem opções para todos os bolsos."Um dos motivos pelos quais vim para
São Paulo foi esse caldeirão de cultura que a gente encontra aqui.
Além disso, procuro por lugares acessíveis, que tenham conforto e
 preço reduzido", afirma a estudante Fernanda Figueiredo,de 20 anos,
 natural de Vitória da Conquista, na Bahia, que está visitando a cidade.

Assim como Fernanda, outras pessoas procuram por lugares bons e baratos.
 E na capital paulista, não é difícil encontrar. Confira dez centros culturais
 que possuem entrada gratuita:

1. Centro Cultural da Juventude: Localizado na zona Norte da cidade, o
 CCJ tem programação cultural com entrada livre e conta com anfiteatro,
 teatro de arena, estúdio de gravações musicais, ateliê, galeria, biblioteca,
 entre outros espaços.

2. Centro Cultural São Paulo: Entre as atividades que entram na programação
 do CCSP, localizado na Rua Vergueiro, no Paraíso, estão cinema, dança,
 música, literatura, oficinas, teatro, cursos e palestras.

3. Casa do Núcleo: Localizado no Alto de Pinheiros, o centro cultural
 é dedicado à música e oferece uma programação composta por concertos,
 cursos e filmes associados a este universo.

4. Centro Cultural Fiesp - Ruth Cardoso: A Fiesp fica na Avenida Paulista
 e abriga a Galeria de Arte do Sesi São Paulo, o Teatro do Sesi e o Espaço
 Mezanino, locais que recebem diversas manifestações artísticas.

5. Centro Cultural Banco do Brasil: O CCBB, localizado na região central
 da metrópole, recebe hoje uma das exposições mais disputadas pelo público:
 Picasso e a Modernidade Espanhola. Além disso, fazem parte da programação
 peças de teatro e filmes a preços populares. 

6. Matilha Cultural: Além de ser um centro cultural que oferece exposições,
 debates, cursos, palestras, shows e outras atividades gratuitas ou a preços populares,
o local traz um viés voltado para o meio ambiente e direitos humanos.
Fica no centro de São Paulo.

7. Itaú Cultural: Localizado na Avenida Paulista, o Itaú Cultural tem uma
vasta programação cultural, incluindo mostras, exposições, peças de teatro,
palestras, cursos e outras atividades. 

8. Caixa Cultural: Localizada na Praça da Sé, a Caixa Cultural oferece
 oficinas, mostras e exposições gratuitas.

9.Labhacker: Criado recentemente, em 2014, o Laboratório Brasileiro de
 Cultura Digital, fica na região da Luz e promove atividades que usa a
tecnologia para a construção coletiva de boas práticas sociais. 

10. Epicentro Cultural: O centro oferece atividades culturais e educativas,
voltadas para arte visual e música e fica na Rua Paulistânia, no bairro de Sumarezinho. 

Veja também os museus com entrada gratuita aqui.

Serviços:

Centro Cultural da Juventude
 
End.: Avenida Deputado Emílio Carlos, 3641 - Vila Nova Cachoeirinha -
 zona Norte - São Paulo. 
Tel.: (11) 3984-2466.
ccjuve.prefeitura.sp.gov.b 

Centro Cultural São Paulo
End.: Rua Vergueiro, 1000 - Paraíso - Centro - São Paulo.
Tel.: 3397- 4002.
centrocultural.sp.gov.br

Casa do Núcleo
End.: Rua Padre Cerda, 25 - Alto de Pinheiros - zona Oeste - São Paulo. 
Tel.: (11) 3032-8401 ou (11) 3815-9714
casadonucleo.com

Centro Cultural Fiesp - Ruth Cardoso 
End.: Avenida Paulista, 1313 - zona Sul - São Paulo. 
Tel.: 3549-449
fiesp.com.br

Centro Cultural Banco do Brasil 
End.: Rua Álvares Penteado, 112 - Centro - São Paulo. 
Tel.: (11) 3113-3651
culturabancodobrasil.com

Matilha Cultural 
End.: Rua Rêgo Freitas, 542 - República - Centro - São Paulo 
Tel.: (11) 3256-2636
matilhacultural.com

Itaú Cultural
End.: Avenida Paulista, 149 - Bela Vista - zona Sul - São Paulo 
Tel.: (11) 2168-1777
itaucultural.org 

Caixa Cultural
End.: Praça da Sé, 111 - Centro - São Paulo.
Tel.: (11) 3321-4400.
caixacultural.com 

Labhacker
End.: Rua Alfredo Maia, 506 - Luz - zona Norte - São Paulo. 
Tel.: (11) 4323-6919 
labhacker.org

Epicentro Cultural
End.: Rua Paulistânia, 66 - Pinheiros - zona Oeste - São Paulo. 
Tel.: (11) 3938-609epicentrocultural.com

Maria Jeremias Santos

Gabriel O Pensador chega a São Paulo para o Festival Quiksilver de Música



Gabriel O Pensador chega a São Paulo 
O músico é uma das atrações do Festivalma XI que acontece de 11 a 14
de junho em São Paulo e Santos

A Quiksilver patrocina o Festival Quiksilver de Música, evento gratuito que acontece dentro da programação do Festivalma XI, entre os dias 11 e 14 de junho em São Paulo e Santos. Dentre as atrações que acontecem no Parque do Ibirapuera (SP), hoje, 11 de junho, está o show do carioca e surfista de alma Gabriel O Pensador. Conversamos com ele, que nos contou um pouco sobre projetos futuros, sua paixão pelo surf e a expectativa para esse show, que promete divertir o público presente.

QS - É a Primeira vez que você se apresenta no Festivalma. 

Qual a sua expectativa para esse show, 
que será dentro de um evento totalmente dedicado ao surf?
Gabriel - É a primeira vez que toco nesse Festival. A expectativa é grande! 

Tenho certeza que vamos curtir e nos divertir muito. Eu vou me sentir 
em casa porque é um ambiente de surf, vários amigos presentes, a galera
 que gosta de música e esporte reunida em um show gratuito, que é
 sempre uma emoção diferente e eu gosto muito de fazer. Além disso, 
estou em um momento muito bom com a banda, entrosado com os músicos, 
fazendo improvisos e muita coisa que a gente gosta de fazer no palco.
 Então, eu vou para trabalhar e também me divertir com a galera.

QS - O surf faz parte da sua vida. Como começou essa paixão por esse esporte?
Gabriel - Comecei a pegar onda com 11 anos de bodyboard e aos 12 passei

 a pegar onda com prancha. De lá pra cá, sempre surfei, com alguns intervalos 
ao longo da vida, mas, sempre sentia muita falta do surf quando não surfava.
Eu fiz muitas viagens e muitas amizades através do surf, inclusive,

 na minha formação, ainda adolescente, ele teve um papel importante 
junto com a galera da Rocinha e outras coisas que vieram por causa do meu convívio 
com a turma da praia do Cantão de São Conrado. Então o surf me
 fez e faz bem de muitas maneiras, é até difícil resumir numa resposta curta.

QS - Qual a melhor onda que já surfou?
Gabriel - A melhor onda que eu já surfei... É difícil dizer, mas um dia épico 

com condições inacreditáveis foi em Rags, na Indonésia, mas infelizmente, 
não foi um dia de muita sorte. Eu perdi minha prancha e tive que ir buscar
 em um lugar de difícil acesso e um nativo escondeu a prancha para pedir
 dinheiro depois e me devolve-la. Foi uma história muito louca, mas foi o mar
 mais perfeito que eu já vi. Estava com o Teco Padaratz, com uma galera boa
 no barco e nesse dia eu não consegui aproveitar muito. Mas, teve outro dia 
nessa mesma trip, que a gente voltou e pegou condições parecidas. 
É uma onda que marcou muito, mas têm outras, a maioria na Indonésia. 
Também gosto muito de pegar onda em São Conrado, aproveito para lembrar 
a nossa campanha "Salvemos São Conrado", que é uma onda muito especial,
 uma praia muito especial, que está jogada no lixo! A galera não cuida como deveria, 
deixa sempre por último essa praia, por ser frequentada por moradores da favela.

QS - O surf no Brasil está vivendo o seu auge. Alguns nomes, como Gabriel Medina, 

Filipe Toledo, Adriano Mineiro e Wiggolly Dantas são de São Paulo e competem
 entre os melhores do mundo o WCT. Esse é o 11º Festivalma que acontece
 na cidade, mais especificamente no Parque do Ibirapuera, conhecido como 
a praia dos paulistas. Em sua opinião, por que o surf é tão forte na terra da garoa?
Gabriel - Eu acho que o surf já rompeu fronteiras, cresceu muito e continua

 crescendo.Estamos vivendo um momento mágico, onde vemos o interesse
 das crianças pelo surf, de adultos que não conheciam o esporte. 
A minha música "Solitário Surfista" foi até um termômetro disso. 
As pessoas curtem muito essa música, mesmo no interior do Brasil,
 longe do mar.É um esporte bonito de assistir, emocionante, envolve 
coragem, risco, e a gente nota que o pessoal de São Paulo está 
sempre se virando pra dar um pulinho no mar, já que a cidade tem praias próximas,
 então, não é uma coisa tão estranha, aliás pra mim, não é nem um pouco estranho.
 Mas, é bom que a gente faça esse festival no coração de São Paulo e traga
 o espírito da praia para dentro da cidade.

QS - Se você não fosse músico/escritor, qual profissão escolheria?
Gabriel - Eu já tinha escolhido uma profissão, comecei a faculdade de

 Comunicação e queria ser jornalista, mas, eu estava com essa coisa do rap
 muito forte na época, batalhando muito para dar certo, mas acredito que se 
não fosse músico ou escritor, como você diz (risos), eu continuaria a faculdade
 e trabalharia com jornalismo de alguma forma.

QS - Qual show foi mais marcante na sua carreira e qual música

 não pode faltar no seu repertório?
Gabriel - Já fiz alguns shows marcantes e poderia me lembrar de alguns.

Os shows de Réveillon em Copa Cabana, Recife e em Florianópolis, 
por exemplo, o show de abertura pro U2, no estádio cheio.Também é
 emocionante fazer shows pequenos, eu me lembro de vários. Mas eu diria que 
o show mais marcante é sempre o próximo. Eu sempre me arrepio, mostro 
isso para a plateia e isso é o que eu mais agradeço, o prazer de fazer o que 
eu faço, a emoção de poder interagir com a galera. Eu muitas vezes trago 
pessoas da plateia para o palco e esses são sempre momentos únicos.
 Sempre sonhei em gravar um disco, então, cada show, cada música que canto 
é o meu sonho se realizando. Não me apego a shows passados, fico muito 
ligado e grato por cada momento, pelo que está acontecendo em cada 
momento, então o show marcante vai ser esse de hoje, e assim tem sido, 
graças a Deus, tem sido sempre marcante. Tem algumas músicas 
que eu tenho um carinho especial, "Até Quando", que encerra os shows,
 é uma das músicas que não pode faltar.

QS - Quais os próximos projetos em sua carreira?
Gabriel - Estamos com uma festa chamada "Ajoelhou tem

 que rezar", que é um projeto interessante que já está rolando 
esporadicamente, que envolve o meu show e outros convidados.
 Também tem um livro já pronto que está sendo ilustrado e que 
vai sair em parceria com uma escritora chamada Laura Malin. 
É um livro infantil sobre esporte, encomendado pelo Cob 
(Comitê Olímpico Brasileiro). Além disso, tem o futebol, que sempre 
dedico um tempo a isso e a gravação de um DVD que já estamos falando,
 eu e meu empresário, e estamos programando com calma.

Por Karol Lopes

Serviço:
Festival Quiksilver de Música - Festivalma XI
Data e local: 11 de junho no Parque do Ibirapuera, em São Paulo;
13 de junho no Parque Roberto Mário Santini, em Santos.

Entrada gratuita
www.festivalma.com.br

A Máquina do Mundo (C. Drummmond)



E como eu palmilhasse vagamente
uma estrada de Minas, pedregosa,
e no fecho da tarde um sino rouco

se misturasse ao som de meus sapatos
que era pausado e seco; e aves pairassem
no céu de chumbo, e suas formas pretas

lentamente se fossem diluindo
na escuridão maior, vinda dos montes
e de meu próprio ser desenganado,

a máquina do mundo se entreabriu
para quem de a romper já se esquivava
e só de o ter pensado se carpia.

Abriu-se majestosa e circunspecta,
sem emitir um som que fosse impuro
nem um clarão maior que o tolerável

pelas pupilas gastas na inspeção
contínua e dolorosa do deserto,
e pela mente exausta de mentar

toda uma realidade que transcende
a própria imagem sua debuxada
no rosto do mistério, nos abismos.

Abriu-se em calma pura, e convidando
quantos sentidos e intuições restavam
a quem de os ter usado os já perdera

e nem desejaria recobrá-los,
se em vão e para sempre repetimos
os mesmos sem roteiro tristes périplos,

convidando-os a todos, em coorte,
a se aplicarem sobre o pasto inédito
da natureza mítica das coisas.

(Trecho de A Máquina do Mundo, de Carlos Drummond de Andrade).

ROMANTISMO NO BRASIL


1ª) Marcada pela exaltação da natureza, volta ao passado histórico, medievalismo, criação do herói nacional na figura do índio, de onde surgiu a denominação de geração indianista. O sentimentalismo  e a religiosidade são outras características presentes. Entre os principais autores podemos destacar Gonçalves Dias, Gonçalves de Magalhães e Araújo Porto Alegre.




2ª)  Fortemente influenciada pela poesia de Lord Byron e Musset, é chamada, inclusive, de geração byroniana. Impregnada de egocentrismo, negativismo boêmio, pessimismo, dúvida, desilusão adolescente e tédio constante – característicos do ultrarromantismo, o verdadeiro “mal do século”- seu tema preferido é a fuga da realidade, que se manifesta na idealização da infância, nas virgens sonhadas e na exaltação da morte. Os principais poetas dessa geração foram Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu, Junqueira Freire e Fagundes Varela.


3ª)  Caracterizada pela poesia social e libertária, reflete as lutas internas da Segunda metade do reinado de D. Pedro II. Essa geração sofreu intensamente a influencia de Victor Hugo e de sua poesia político-social, daí ser conhecida como geração hugoana. O termo condoreirismo é conseqüência do símbolo de liberdade adotado pelos jovens românticos : o condor, águia que habita o alto da cordilheira dos Andes. Seu principal representante foi Castro Alves, seguido por Tobias Barreto e Sousândrade.






Principais escritores do Romantismo no Brasil



  Gonçalves Dias - foi um importante poeta brasileiro do século XIX
  Principais obrasOs timbiras, Meditação, Canção do Exílio, I-Juca-Pirama, Seus Olhos 

  Álvares de Azevedo - escritor da Segunda Geração Romântica
  Principais obrasLira dos Vinte Anos, Noite na Taverna.

  Castro Alves - importante poeta brasileiro da geração condoreira
  Principais obrasEspumas Flutuantes, Os escravos, A Cachoeira de Paulo Afonso, Hinos do equador, Tragédia no Mar, O Navio Negreiro

  Joaquim Manuel de Macedo  Principais obrasA Moreninha, O Moço Loiro, O Rio do Quarto, A luneta mágica.

  José de Alencar - considerado o principal escritor do romantismo brasileiro.
  Principais obrasCinco Minutos, A Viuvinha, O Guarani, Lucíola, Iracema, As Minas de Prata, Senhora, Encarnação.

  Manuel Antônio de Almeida  Principais obrasMemórias de um sargento de milícias, Dois Amores (peça de teatro)

  Bernardo Guimarães - romancista e poeta
  Principais obrasO seminarista, A escrava Isaura

  Franklin Távora - iniciou o romantismo regionalista no Nordeste
  Principais obrasTrindade maldita, Os índios do Jaguaribe; A casa de palha; Três lágrimas

  Machado de Assis - é considerado um escritor que pertenceu a duas escolas literárias (Romantismo e Realismo)
  Principais obras românticasRessurreição, A mão e a luva, Helena, Iaiá Garcia

Paulo Dantas - o Jagunço Menino



Rosani Abou Adal é escritora, jornalista, membro da Academia de Letras de Campos do Jordão.

Paulo Dantas, escritor, ensaísta, crítico literário, romancista, 

ficcionista, biógrafo, jornalista, vice-presidente da Academia de

Letras de Campos do Jordão, presidente da Academia Brasileira

de Literatura Infanto-Juvenil, nasceu em 1922 em Simão Dias, 

SE, completou 85 anos no dia 13 de janeiro. Autor de vasta 

obra, detentor dos prêmios Coelho Neto e Afonso Arinos, da 

Academia Brasileira de Letras; Mário Sete, do Jornal de 

Letrasdo Pen Clube, de São Paulo; e do Fernando Chináglia
~
O “menino jagunço” cria, com a alma, personagens vivos, que 

deixam fortes marcas na nossa Literatura. Paulo Dantas encanta 

com suas Joanas Imaginárias. Tem um estilo próprio e conciso. 

A linguagem dantasiana é sua marca. Seus livros de biografias, 

importantes aos estudiosos e pesquisadores, e toda sua obra 

necessita de reedições. A maioria dos seus livros está com 

edições esgotadas e nossa Literatura enferma sem os títulos e os 

personagens do jagunço-menino. 

Entrevistamos o autor de As Águas não Dormem em homenagem ao homem sensível e 

ao intelectual de valor incalculável às nossas Letras. Ele nunca dormiu produzindo sua obra. Esperamos que os editores também não durmam e reeditem seus livros.

- O que significa completar 85 anos e quais são suas perspectivas?

- Nasci no ano da Semana de Arte Moderna de 1922 e da fundação do Partido Comunista. E a lobatina Emília gritando independência ou morte. 

Estou na terceira infância, agora marcho para a velhice com ordem e progresso. Amar e querer bem a Deus e ao mundo e procurar os heróis do nosso tempo.

- Quais são os referidos heróis?

- Bernardo Saião - estradeiro-mor da Belém-Brasília; Antonio Conselheiro, professor místico dos Sertões; e Euclides da Cunha, sertanejo antes de tudo forte. Não posso me esquecer de Padre Cícero na oração e de Lampião na valentia e no trabalho; do precursor da industrialização brasileira, Belmiro Gouveia. Muitos outros heróis existem, que não cultuo para não cair no pecado da omissão. Um herói nunca morre, planta e colhe dobrado no chão social dessa pátria estremecida.

- O que estes heróis influenciaram na sua vida e Literatura?
- Identificações espirituais, ensinamentos e alumbramentos. Escrevi biografias Jovens para todo o mundo. Ser ou não ser sertanejo, eis a questão. Todo brasileiro no fundo é um sertanejo. Assim foi o urbano Monteiro Lobato e até o universal Guimarães Rosa, amigo, meu camarada, companheiro dos encantos, dos arrancos e dos espantos. Deus me deu a graça de inumeráveis amigos. Inspiração para escrever livros biográficos cheios de lições nacionalistas e patrióticas. Não faço pesquisa porque abraço o encantamento. O encantamento é emocional e, assim, me levou para as páginas do meu Através dos Sertões.

- O que significa o sertão?

- O sertão é minha infância e meu embasamento nacional. Nos dias da minha mocidade escrevi memórias dos desperdícios amorosos. Minha mãe, Maria Bonita e Anita Garibaldi representam a identificação e o chão do sertão. Mulheres rendeiras tecem sonhos e ilusões.
 - Quais são os planos para 2007?
- Viver, resistir e escrever porque não escrever é morrer. Tudo de bom acontece no amanhecer de cada dia. Escrevo de madrugada porque as energias estão recuperadas em minha alma.

- Você pretende lançar livro novo?

- Espero escrever essas minhas memórias tão anunciadas, Poeiramas, achados e perdidos, gira-gira gitirana. Às vezes penso que estou escrevendo essas memórias por estar praticando um misto-quente, nele cabendo tudo. Crônicas, contos, poesias, romances ou novelas inacabadas.Hoje leio mais do que escrevo. Muito escrevi e ainda por teimosia, que os leitores tenham paciência, talvez venham novos livros.

- O que representa o Poeiramas?
- Cada livro possui um destino, sendo um grito ou um desabafo, iluminando nossos fantasmas. Sejam ou não familiares. No teatro giratório dos meus navios a navegar, sinto as cargas descendo dos sertões.

- Qual é seu melhor livro?

- O Livro de Daniel, o meu romance mais trabalhado. Levei 12 anos na sua elaboração. Este penso seja meu melhor livro, apenas tendo uma edição comemorativa na Editora Francisco Alves quando dos anos 60; criei sem saber muitas teorias literárias. Uma delas fez sucesso, a do calado pertencido, que cada homem é um navio tendo ostras e cicatrizes no seu calado, que às vezes se torna consentido quando a gente aceita vitórias e derrotas. O Livro de Daniel teve cinco mil exemplares e está precisando de uma editora que queira investir no romance brasileiro.

- Qual personagem criou com que mais se identifica?

- É o Daniel.  Guimarães Rosa disse que Daniel é um gênio ignorado.

- Qual é o personagem mais feliz?

- É o Capitão Jagunço.Escrevi o livro em um mês, estava muito inspirado.

- Qual é sua fonte de inspiração?

- A vida viva, a experiência experimentada. Para que dizer mais, isto já diz tudo. Agora esbarro com o meu clássico - “viva”. Viva a Linguagem Viva!

- O que representa Aquelas Muralhas Cinzentas?

- Foi meu livro de estréia, escrito no raiar da mocidade, inspirado diretamente nos seis meses que convivi com os presos da penitenciária agrícola de Neves, dirigida pelo político mineiro José Maria de Alckmin. Uma estréia feliz bem aceita pela crítica e livraria. Até ganhou um prêmio espontâneo da Academia Brasileira de Letras.  Influenciado pelas recordações da Casa dos Mortos, de Dostoievski, antes das Memórias do Cárcere, de Graciliano, dava minha humilde contribuição ao tema carceral.

- Em que época escreveu os livros As Águas não Dormem, Purgatório, Chão de 

Infância Cidade Enferma?

Nos dias da minha mocidade ferida com minhas experiências no Rio e nos sanatórios, escrevi a novela As Águas não Dormem, que até teve repercussão em Portugal. Curado, um dia fui procurar meu amigo Manuel Bandeira, que foi tuberculoso profissional, falou para desistir da tuberculose que ela não mais existia. Bem curado fui buscar meu Chão de Infância. Morando no bairro do Paraíso escrevi o romance Purgatório. Depois de alcançar o máximo atingi os enredos trágicos e amorosos do meu romance Cidade Enferma, premiado com o Prêmio Coelho Neto, da ABL. (....)

Trecho da entrevista de Rosani Abou Adal é escritora, jornalista, membro da Academia de Letras de Campos do Jordão.

Fonte:www.linguagemviva.com.br