VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sábado, 6 de junho de 2015

Entre o Beco e o sarau (DG – Dinho Gallera)

Em meio a tanta maldade dessa imensa capital cinzenta e cruel
 Onde quase não vejo estrelas e o cinza descolore meu céu
Difícil ouvir um bom dia, se ouço aqui em SP não é habitual
A cada esquina uma escolha de vida, meninos com cara de mau
 Nos becos procuro cultura, o que vejo não é um portal

 A mente desperta um desejo, poemas e um dia legal 

Na rua agente se encontra, se monta em um pouco de tudo
Apreende e entende que a mente liberta e desperta um mundo
 A droga maior é aquela que agente alimenta e não quer transformar
Transforme seu mundo, seu eu, um livro eu quero lhe dar
 Não quero ser nota de jornal e nem exemplo pra ninguém 

Grades não lhe faz seguro mais fácil lhe fazer refém
Você que está no escuro, perdido sem ver o horizonte
Se liga aqui fica a dica, se joga e não perde esse bonde
Armas na mão... não !!!! Canetas em punho e papel ...bom !!!
Liberte o seu pensamento e a vida desperta seu dom
Eu li um poema de cordel, gostei e fiz um som
De bumbo eu fiz a mesinha, quem dera eu tocar violão

Mas na mente eu criei os acordes
Fiz moldes da minha canção
É o beco, é sarau, onde encontro cultura
 É a minha alma nua se fazendo poesia
 É uma linda magia que desperta na gente
Sentimento aparente feito o doce de açúcar
Você quer ? ... vem pegar. 

Se lança moleque, sem freios, sem testes,

só seu coração Bota a arma no chão e esquece o passado
 E o amanhã será fato sonhos novos virão
 Entre o beco e o sarau existe um escuro
 Que não me faz ficar mudo, nesse mundo letal.


Letra e melodia : DG Dinho Gallera

Postar um comentário