VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

12 DE DEZEMBRO POESIA TEM LUGAR CERTO: BECO DOS POETAS




12 de Dezembro - Poesia tem lugar certo: Beco dos Poetas


Domingo, às 10h00 estaremos na Biblioteca do Céu Caminho do Mar, realizando o  5º SARAU DO BECO DOS POETAS em homenagem a Vida
e obra da poetisa brasileira, CECÍLIA MEIRELES considerada uma das mais importantes representantes da literatura modernista.
E você é nosso convidado especial, venha participar conosco.


Filha de Carlos Alberto de Carvalho Meireles, funcionário do Banco do Brasil S.A., e de D. Matilde Benevides Meireles, professora municipal, Cecília Benevides de Carvalho Meireles nasceu em 7 de novembro de 1901, na Tijuca, Rio de Janeiro. Foi a única sobrevivente
dos quatros filhos do casal. O pai faleceu três meses antes do seu nascimento, e sua mãe quando ainda não tinha três anos. Criou-a, a partir
de então, sua avó D. Jacinta Garcia Benevides.

Dois anos depois, em 1919, publica seu primeiro livro de poesias,
"Espectro". Seguiram-se "Nunca mais... e Poema dos Poemas",
em 1923, e "Baladas para El-Rei, em 1925.

Casa-se, em 1922, com o pintor português Fernando Correia Dias, com quem tem
três filhas: Maria Elvira, Maria Mathilde e Maria Fernanda, esta última
artista teatral consagrada. Suas filhas lhe dão cinco netos.

Falece no Rio de Janeiro a 9 de novembro de 1964, sendo-lhe prestadas grandes
homenagens públicas. Seu corpo é velado no Ministério da Educação e
Cultura. Recebe, ainda em 1964, o Prêmio Jabuti de Poesia, pelo livro
"Solombra", concedido pela Câmara Brasileira do Livro.

{...}

Em 1965, é agraciada com o Prêmio Machado de Assis, pelo conjunto de sua
obra, sia, traduzida para o espanhol, francês, italiano, inglês, alemão,
húngaro, hindu e urdu, e musicada por Alceu Bocchino, Luis Cosme, Letícia
Figueiredo, Ênio Freitas, Camargo Guarnieri, Francisco Mingnone, Lamartine
Babo, Bacharat, Norman Frazer, Ernest Widma e Fagner, foi assim julgada pelo
crítico Paulo Rónai:

"Considero o lirismo de Cecília
Meireles o mais elevado da moderna poesia de língua portuguesa. Nenhum
outro poeta iguala o seu desprendimento, a sua fluidez, o seu poder
transfigurador, a sua simplicidade e seu preciosismo, porque Cecília, só ela,
se acerca da nossa poesia primitiva e do nosso lirismo espontâneo...A poesia de
Cecília Meireles é uma das mais puras, belas e válidas manifestações da
literatura contemporânea.


Dia 12 de Dezembro, a partir das 10hs na Biblioteca do CEU- Caminho do Mar- Av. Eng. Armando de Arruda Pereira, 5.241-(entrada franca) Jabaquara- São Paulo-SP

Duvidas, ligue: 011-5021-2233


Postar um comentário