VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 22 de maio de 2011

IMPERMANÊNCIA (Poesia sem Verbo)




Inquietos sentimentos
Em meus olhos de amor.
Saudade... canção do vazio.
Alma em delírio, lágrima furtiva.
Doloridos sonhos...descoloridos.
Nau sem porto à deriva.
Tristes imagens de tua ausência...

Ah... esta impermanência
De teu abstrato ser...
Retrato da impassível nudez
Das minhas horas vazias...

Arlette Santos
Postar um comentário