VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

PEGAN - a dieta do momento

PEGAN - a dieta do momento combina a alimentação paleolítica e a vegana


O melhor dos dois mundos. É sob esse mote que vem sendo promovida a nova dieta do momento, a Pegan. Como o próprio nome já indica, trata-se de uma dieta que combina os princípios, de um lado, da alimentação Paleolítica e, de outro, da Vegana. Também conhecida como dieta páleo, a primeira tem como modelo os hábitos alimentares dos homens pré-históricos, privilegiando o consumo de vegetais, frutas, carnes, peixes e nozes em detrimento dos ingredientes processados. A alimentação Vegana, ao contrário, não admite produtos de origem animal, sendo composta por grãos, frutas, legumes e sementes. Mas como, então, é possível combinar essas duas alimentações aparentemente contraditórias?

Alimentos ricos em proteína: conheça 10 e saiba como usá-los em sua dieta


O segredo está no meio termo. Apoiando-se nos princípios comuns dessas duas vertentes, a dieta fundada pelo médico Mark Hyman, diretor do Cleveland Clinic Centre for Functional Medicine, dispensa algumas restrições que a inviabilizariam, sendo, portanto, menos 
radical e mais fácil de ser seguida. A maior semelhança entre as alimentações Paleo e Vegana e que se repete também na pegan é o fato de se apoiarem no consumo de alimentos naturais, excluindo produtos industrializados, açúcares refinados e conservantes. 
"Essa dieta preza pelo consumo dos alimentos o mais natural possível, excluindo embutidos, alimentos industrializados, muitos carboidratos (pães, massas e bolos), açúcar e sal", aponta a médica nutróloga Alice Amaral. O consumo de alimentos derivados de animais também é orientado no sentido de priorizar produtos naturais e criados de forma sustentável. Em vez de ter a carne como ingrediente protagonista de uma refeição, é indicado aproveitá-la como um complemento, enquanto o ovo pode atuar como fonte principal de proteína. Alimentos que contêm glúten e laticínios não são incluídos nessa dieta, o que favorece as pessoas que sofrem de doença celíaca ou apresentam intolerância. Grãos integrais como quinoa, aveia, e trigo sarraceno podem ser consumidos com moderação. 
   
Fonte: http://gnt.globo.com/
Postar um comentário